Olhão é cidade de destaque na rota internacional do geocaching

  • Print Icon

Cada vez mais conhecida na rota do geocaching, a cidade recebeu em junho o encontro «Rumo ao Sol», que trouxe cerca de uma centena de participantes portugueses, espanhóis, belgas e alemães.

Na sequência do evento, organizado pela Picturesque Weekend Associação, com o apoio do município de Olhão, foi recentemente publicado um conjunto de 144 caches visíveis no mapa do geocaching com o formato de um Caíque – Caíque Bom Sucesso.

As 227 caches atualmente existentes no concelho enquadram-se num projeto que ambiciona colocar Olhão na rota do geocaching prevendo-se, para além da colocação de mais caches, a realização de vários eventos, entre os quais um workshop marcado para 21 de setembro, com o objetivo de cativar mais residentes para a sua prática.

Esta é uma atividade de ar livre, na qual os participantes usam um recetor GPS ou um dispositivo móvel com essa tecnologia de localização, para ocultar e procurar contentores chamados de geocaches ou caches, em qualquer lugar do mundo – é, no fundo, uma versão mais tecnológica da «caça ao tesouro».

O geocaching pode ser praticado em família, com amigos ou individualmente e permite o contacto com a natureza, a história, a cultura, a gastronomia e as pessoas dos locais onde estão escondidos os objetivos.

A cache virtual colocada no Largo da Fábrica Velha (pinturas), denominada «Gentes de Olhão», já atraiu a atenção de 865 geocachers originários de 25 países, tendo sido visitada por 335 deles. Enquanto isso, a geocache colocada no Cerro da Cabeça, denominada «O Mouro e o Abismo», foi premiada em 2014 como a melhor cache do distrito de Faro.