Loulé realizou o 2º Encontro de Equipas de Primeira Intervenção contra incêndios

  • Print Icon

A Câmara Municipal de Loulé, através do Serviço Municipal de Proteção Civil Segurança e Florestas, promoveu, pelo segundo ano consecutivo, o Encontro Municipal de Equipas de Primeira Intervenção do concelho.

Este foi um evento realizado no âmbito das medidas preventivas municipais a adotar no que concerne à defesa das florestas contra incêndios, e decorreu na sexta-feira, dia 24 de maio, no Quartel dos Bombeiros de Loulé e no Heliporto Municipal.

O vereador Carlos Carmo e o comandante distrital da Proteção Civil, Vítor Vaz Pinto marcaram presença.

A ordem de trabalhos, com uma componente teórica e prática, esteve a cargo do Serviço Municipal de Proteção Civil/Gabinete Técnico Florestal, Guarda Nacional Republicana e Bombeiros de Loulé. O objetivo? Criar momentos de partilha de conhecimentos, informação, sensibilização e articulação entre todos os agentes de Proteção Civil e participantes detentores dos kits de primeira intervenção que concorrem para o desígnio nacional: prevenção e proteção das áreas rurais.

Na atividade estiveram presentes cerca de 50 participantes, entre representantes das juntas de freguesias, das associações, clubes de caçadores, equipa de sapadores da Associação de Produtores Florestais da Serra do Caldeirão, GNR-GIPS e as equipas municipais de intervenção florestal.

Os presentes tiveram ainda a oportunidade de visitar a sala de despacho de meios do Centro Distrital de Operações de Socorro de Faro e o Heliporto Municipal.

Neste dia, foram também celebrados mais dois protocolos com a Associação de Caçadores dos Vermelhos e o Clube de Caçadores do Barranco do Velho, somando assim aos 16 já celebrados com clubes e assolações de caça, constituindo-se um dispositivo com um total 26 viaturas no Concelho de Loulé equipadas com kits de primeira intervenção florestal.

Segundo a Câmara de Loulé, este «é um Encontro que se deverá realizar todos os anos, uma vez que, para além de dar cumprimento ao estabelecido em protocolo, serve também para assinalar o início da época de vigilância florestal no patamar municipal».