Loulé sensibiliza população relembrando o sismo de 1969

  • Print Icon

Vai estar patente ao público, nos Claustros do Convento Espírito Santo, em Loulé, de 20 de agosto a 16 de setembro, uma exposição alusiva ao sismo de 28 de fevereiro de 1969, iniciativa da Câmara Municipal de Loulé, através do Serviço Municipal de Proteção Civil e da Divisão de Cultura, Museu e Património.

No ano em que se assinalam 50 anos desde este momento que assolou, em especial, a região sul do país, a exposição «28 de fevereiro de 1969, memórias do sismo», promovida pela Sociedade Portuguesa de Engenharia Sísmica (SPES) e Centro Europeu de Riscos Urbanos (CERU), tem como principal objetivo ajudar a preservar a memória coletiva do sucedido nessa data, lembrar o passado para compreender o presente e preparar o futuro, «contribuindo para a formação de cidadãos responsáveis».

Recorde-se que o sismo de 1969, que atingiu a magnitude 7,9 na escala de Richter, deu-se às 3h41 de 28 de fevereiro. Atingiu o Sul de Portugal e a região de Lisboa mas também foi sentido no Norte, sendo considerado o mais importante do século 20 em território nacional.

O sismo provocou alarme e pânico entre a população, cortes nas telecomunicações e no fornecimento de energia elétrica. Registaram-se 13 vítimas mortais em Portugal Continental – duas como consequência direta do sismo, e 11 indiretas.

A autarquia louletana explica que «é muito expectável que o território do concelho de Loulé, bastante atingido no passado por diversos abalos sísmicos, por se situar numa zona de sismicidade de grau 9 e 10 (sismicidade máxima), possuindo também as falhas sísmicas denominadas de Loulé e de Querença, venha a ser afetado com consequências graves por um evento desta natureza. Assim, a sensibilização para as medidas a adotar numa situação de catástrofe natural, como é o caso de um sismo, continua a ser uma das grandes apostas do Serviço Municipal de Proteção Civil de Loulé».

Refira-se que a inauguração desta exposição irá realizar-se no dia 20 de agosto, às 18h00, com enquadramento histórico do sucedido no município de Loulé e apresentação de memórias vivas contadas na primeira pessoa.