Lagos já começa a sentir a azáfama das Marchas Populares

  • Print Icon

A pouco mais de um mês da realização das «Marchas Populares Lagos 2019», já é grande a azáfama das várias associações locais e dos muitos voluntários, que se preparam para animar a cidade na quadra festiva dos Santos Populares.

Da definição do tema de cada marcha à preparação de guarda-roupa original, passando pela elaboração da coreografia e muitos ensaios, necessários para todos se apresentarem com o passo certo nos três dias de festa desta 3ª edição das Marchas Populares. Muito trabalho há ainda a fazer para que, entre os dias 13 e 15 de junho, o espetáculo aconteça e a Praça do Infante, em Lagos, se encha de cor, movimento e alegria.

Este ano o público poderá ver desfilar as marchas do Clube Artístico Lacobrigense, do Clube Desportivo de Odiáxere, do Agrupamento de Escolas Júlio Dantas (estreante), da Santa Casa da Misericórdia de Lagos (Lar Rainha D.ª Leonor e Lar Filipe Fialho), do CASLAS – Projeto Duna, do Centro de Cultura e Desporto dos Trabalhadores da Câmara Municipal de Lagos, da NECI – Núcleo de Educação da Criança Inadaptada e do Externato Jardim Infantil da Torraltinha. A estas juntar-se-ão cinco marchas de fora do concelho convidadas.

A participar na animação estarão também presentes a Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1º de Maio, o Centro de Estudos de Lagos (Universidade Sénior), a Orquestra Ligeira de Lagos e o Rancho Folclórico e Etnográfico de Odiáxere.

Para apoiar estas entidades nos encargos inerentes aos preparativos, o Município atribuiu subsídios num montante global a rondar os 45 mil euros.

Paralelamente, também decorrem todos os trabalhos logísticos necessários para preparar devidamente o espaço para a ocasião, pretendendo-se que o evento «contribua para reafirmar a dinâmica e a autenticidade da nossa cultura, assim como criar a oportunidade para que aconteçam momentos de confraternização, amizade e cooperação – como é característica da tradição dos Santos Populares -, envolvendo toda a comunidade e gerando interação com os visitantes», explica o município.