Dom Rodrigo de Lagos a votos para as 7 Maravilhas Doces de Portugal

  • Print Icon

Iniciaram-se ontem, quinta-feira, 27 de junho, as votações das 7 Maravilhas Doces de Portugal, e com elas a possibilidade de colocar o Dom Rodrigo de Lagos no painel dos melhores doces de Portugal.

A votação contempla 140 doces a concurso e vai decorrer até à data de realização do programa do distrito de Faro, no dia 16 de agosto. Até lá a iniciativa pode ser acompanhada através da RTP 1 que emitirá em direto o programa de cada distrito.

Para já, o desafio consiste em fazer com que o Dom Rodrigo de Lagos seja apurado como pré-finalista e vá disputar uma das semi-finais. O município, entidade responsável pela apresentação da candidatura do Dom Rodrigo de Lagos às 7 Maravilhas Doces de Portugal, irá lançar nos próximos dias uma campanha de comunicação para apelar ao voto neste doce.

Simultaneamente pretende-se promover aquele que é um dos expoentes da doçaria tradicional de origem conventual, cujas origens estão ligadas à história da cidade de Lagos e do seu património religioso, uma vez que a receita terá tido origem no século 18, no antigo Convento de Nossa Senhora do Carmo, em Lagos.

Confecionado pelas freiras Carmelitas, o seu nome ficou associado ao Governador-Capitão General da Praça de Guerra de Lagos, D. Rodrigo de Menezes.

Para chegar até aqui, o Dom Rodrigo de Lagos passou pelo crivo de um painel de especialistas que selecionou primeiramente 21 candidatos por distrito e, numa segunda fase, 7 finalistas por distrito.

As eliminatórias regionais vão determinar o doce que representará cada distrito, sendo que nesta fase a escolha é feita pelo público através de votação telefónica. No caso do doce de Lagos, o número a ligar é o 760 107 136.

Cada chamada tem um custo de 60 cêntimos + IVA, podendo cada pessoa votar várias vezes.

Considerando a tradição doceira do concelho e a importância cultural, social e económica que a doçaria regional representa, o município lacobrigense «espera conseguir mobilizar a comunidade, residente e visitante, para esta iniciativa, vendo nela uma oportunidade para promover os produtos endógenos locais e o próprio concelho».