Lagoa lança «bolas de sementes» para combater a erosão

  • Print Icon

Projetada e desenvolvida pelo japonês Masanobu Fukuoka, a técnica de bolas de sementes de argila é uma importante medida no combate à erosão e à desertificação (natural ou pós-fogo).

No âmbito das comemorações do Dia Mundial da Ciência ao Serviço da Paz e do Desenvolvimento, propostas pela UNESCO a 10 de novembro, coincidente com o Dia da Bolota promovido por diferentes entidades, o município de Lagoa, desafia toda a comunidade a passar o sábado, dia 9 de novembro, em família ou com amigos, no Centro de Interpretação da Natureza do Sítio das Fontes.

A autarquia vai promover o workshop «Bolas de sementes», gratuito e aberto a todos os interessados em conservação da natureza. A erosão dos solos, por motivos naturais ou por ação dos fogos florestais, por exemplo, pode ser contrariada graças a esta técnica simples.

Desenvolvida pelo japonês Masanobu Fukuoka, consiste em encapsular sementes em bolas artesanais de argila. É fácil e replicável, tanto em contextos informais como grupos de amigos ou voluntários, ou formais como escolas, agrupamentos escuteiros, ou outros coletivos organizados.

«A facilidade com que são produzidas as bolas de argila com sementes potencia um sentimento de responsabilidade e capacidade de intervenção coletiva, permitindo a cada cidadão e cidadã ajudar a mitigar problemas ambientais e contribuir para uma melhoria efetiva e eficaz da nossa casa comum», explicam os técnicos do Centro de Interpretação da Natureza do Sítio das Fontes.

Estas bolinhas criam condições para a germinação e desenvolvimento de árvores e arbustos que, uma vez instalados, ajudarão a combater eficazmente a erosão dos solos, e a promover a biodiversidade.

Com esta iniciativa, o município de Lagoa pretende promover a aproximação das pessoas de todas as idades à natureza. A inscrição prévia é necessária e pode ser feita por email ([email protected]) ou telefone (282 380 456).

Município de Lagoa assina protocolo para a educação para a paz

O município de Lagoa e o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) celebraram um protocolo de cooperação que visa promover uma cultura de paz, por meios diversos, junto das comunidades deste concelho algarvio.

O referido protocolo foi assinado pelos representantes das duas instituições, CML e CPPC, no passado dia 30 de outubro de 2019 nas instalações do edifício principal da autarquia.

O Conselho Português para a Paz e Cooperação é uma associação sem fins lucrativos, que intervém ativamente na luta pela Paz, pela Solidariedade e Cooperação entre os Povos, defendendo a resolução pacífica dos conflitos e desarmamento, que promove a cultura pela Paz.

Por seu lado, o município de Lagoa pertence ao Movimento dos Municípios pela Paz desde 21 de fevereiro de 2017, tendo subscrito os 10 Compromissos para a Paz e juntando-se aos que consideram a paz como princípio essencial à vida humana, condição indispensável para o progresso, bem-estar e liberdade dos povos.

A celebração do protocolo entre o município de Lagoa e o Conselho Português para a Paz e Cooperação destina-se a promover ações de Educação para a Paz junto da comunidade educadora do concelho, em diferentes momentos ao longo do ano.

Neste quadro, deverão circular pelas escolas e associações locais várias exposições de que são exemplo as intituladas: Construir a Paz com os valores de abril; 100 anos da Grande Guerra e a Luta pela Paz; Décadas de Luta pela Paz; Celebrar a Vitória, Defender a Paz; Defender a Paz, contra as armas nucleares.

A educação para a paz, seja direcionada para as novas gerações ou para outros públicos, deverá ainda passar pelo intercâmbio de experiências e iniciativas diversas com entidades que integram o Movimento dos Municípios para a Paz, ou com outras instituições interessadas na defesa da liberdade e das relações pacíficas e de cooperação.