Junta de Freguesia de Sagres e PCP denunciam intenção de fecho da estação dos CTT local

  • Print Icon

A Junta de Freguesia de Sagres assumiu total surpresa pela intenção de fecho da estação dos CTT existente na vila.

«No dia 17 de Dezembro, fomos surpreendidos com a tomada de posição da Associação Terras do Infante contra o encerramento dos Postos dos Correios de Sagres e da Praia da Luz, que agradecemos. Se a Associação tomou aquela posição é porque o assunto está mais adiantado do que nós, Junta de Freguesia, pensávamos», revela fonte da junta.

Sobre a evolução do processo, explica a mesma fonte que «no passado mês de Agosto, um funcionário dos CTT solicitou uma reunião com a Junta de Freguesia de Sagres, que se realizou no dia 31 de Agosto. Na reunião foi apresentada a proposta para a Junta de Freguesia assumir o serviço prestado pelos CTT, proposta rejeitada por nós, pois não aceitamos que um serviço com décadas na freguesia e que foi um dos requisitos para que Sagres fosse elevada à categoria de vila no ano de 1988, deixe de existir». Mas existem outros motivos, como a existência de «apenas uma funcionária na secretaria, o que não garante condições para assegurar o serviço CTT com a qualidade que se exige».

Na ausência de disponibilidade por parte da Junta de Freguesia para albergar os serviços postais, «foi-nos solicitado pelo funcionário dos CTT a indicação de um estabelecimento comercial com condições para assegurar o serviço». «Respondemos que não indicávamos nenhum, porque queríamos que os CTT continuassem a funcionar nos moldes em que sempre funcionaram e que tínhamos sérias dúvidas que um estabelecimento comercial tenha condições para assegurar o serviço pretendido», concluiu a mesma fonte.

Esta tomada de posição corrobora a do PCP, que em nota de imprensa enviada às redações, criticou duramente a intenção de fechar a estação da vila de Sagres.

«A privatização dos CTT, concretizada pelo anterior Governo PSD/CDS, está a conduzir ao encerramento, em todo o País, de estações de correios, e à degradação do serviço postal. A administração dos CTT já contactou a Junta de Freguesia de Sagres sobre a intenção de passar a Estação dos CTT para a Junta de Freguesia ou para estabelecimento do comércio local», adianta a concelhia do PCP de Vila do Bispo.

Na ótica do partido, este fecho «prejudica gravemente os interesses das populações de Sagres, considerando a grande importância que a Estação dos CTT de Sagres tem para a população local, nomeadamente a mais idosa, assim como para a actividade turística e para o comércio».

Os comunistas criticam uma decisão «que prova que a administração dos CTT só está interessada em obter lucros com o seu grande negócio (Banco CTT), não se importando de abandonar as populações que há décadas utilizam este serviço público». O PCP considera ainda uma «irresponsabilidade» que se «tente transferir essas competências para as autarquias ou para entidades privadas».

Enumerando vários problemas no serviço postal do país, como atrasos na chegada do correio, despedimento de trabalhadores, venda de património, o PCP atira ainda aos novos donos dos CTT, que «recebem os lucros». Por seu lado, «o Governo PS opta pelo silêncio e age de modo a não incomodar os accionistas desta grande empresa. É preciso dizer Basta!».

O PCP exige «que os CTT revertam para o controlo público, retomando a qualidade do serviço postal, universal e presente em todo o território nacional», apelando «à mobilização e luta das populações, das autarquias locais e dos agentes económicos da freguesia em defesa da manutenção da sua estação dos CTT».