«Fim de Tarde ao Sal» é «experiência única» em Castro Marim

  • Print Icon

É necessário fazer marcação prévia para participar nas atividades.

A Câmara Municipal de Castro Marim está a promover entre os dias 17 e 24 de agosto, sempre às 17h45, a iniciativa «Fim de Tarde ao Sal», convidando a um fim de tarde diferente onde pode aprender, saborear, colher e levar o «melhor sal do mundo», «uma experiência única» em plena Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António.

O ponto de encontro para a atividade é na Casa do Sal, existindo um limite máximo de oito participantes. É ainda obrigatório o uso de máscara, e cada elemento terá os seus próprios rodos e materiais, construídos para o efeito pelos carpinteiros da câmara.

A autarquia explica que «esta iniciativa está integrada numa estratégia de valorização e promoção deste produto, que é um dos ex-libris de Castro Marim. É um contacto de proximidade e familiarização, que tem como objetivo incrementar e impulsionar a comercialização de produtos locais na cadeia turística».

As atividades, com um limite máximo de oito participantes, estão sujeitas a marcação prévia até ao dia 13 de agosto, através do 281 510 747 ou por e-mail.

Ao longo dos anos, o município tem promovido várias ações para a revitalização da atividade salineira, assente no princípio de que é um produto único e distinto, desde a formação de salineiros, passando por ações de caráter promocional e até pela produção do documentário «Os Dias do Sal», de Ivan Dias, que traduz a profunda ligação da exploração de sal à identidade castromarinense.

Há cerca de 2 meses, a vila conseguiu também ver legalmente protegida a denominação «Sal e Flor de Sal de Castro Marim» com o selo DOP – Denominação de Origem Protegida.

O «Fim de Tarde ao Sal» é uma ação organizada pelo município de Castro Marim e Associação Odiana, integrada no programa Bandeira Azul 2020 e enquadrada na candidatura «Patrimónios de Castro Marim: Valorização e Promoção de Produtores Locais e Produtos Endógenos», comparticipada pelo Programa Operacional CRESC 2020, projeto PADRE, apoiado por Portugal e União Europeia e cofinanciado a 70 por cento pelo FEDER.