Festival da Sardinha com mais de 100 mil pessoas foi «um enorme sucesso»

  • Print Icon

Números duplicaram em relação ao ano passado. A 25ª edição do Festival da Sardinha encheu de animação a zona ribeirinha de Portimão, entre 7 e 11 de agosto.

Em jeito de balanço do evento, a presidente da Câmara Municipal de Portimão, Isilda Gomes, considerou que foram «cinco dias extraordinários, com uma participação do público fora do comum», confessando que nunca esperou «ter tanta gente a visitar o Festival», que chegou mesmo a esgotar, «em várias ocasiões, a quantidade de sardinha disponível».

A autarca entende que o evento «foi um enorme sucesso, para mais se nos lembrarmos que no ano passado tivemos 50 mil visitantes, um número mais que duplicado nesta edição, o que só por si já atesta o sucesso do festival, que ultrapassou as nossas melhores expetativas».

«O novo formato adotado e o local onde decorreu, num regresso às origens, explicam em boa medida a quantidade de pessoas que visitaram o certame. Nestas noites, encontrei inúmeros portimonenses bastante orgulhosos, elogiando a decisão de mudarmos de espaço, muito mais amplo e seguro, onde as famílias podem passear tranquilamente», acrescentou a edil portimonense, frizando que, para si, esta foi «uma aposta ganha, para o que muito contribuiu o cartaz musical e o empenho do movimento associativo, cujas coletividades a assar sardinha tiveram as mesas sempre preenchidas».

Isilda Gomes destacou ainda as pastelarias locais a concorrer às 7 Maravilhas Doces de Portugal, entre outros motivos de interesse, como os palcos secundários, o Petinga Park e o artesanato.

Sobre a próxima edição, a presidente levantou um pouco o véu, adiantando que o certame gastronómico manter-se-á no mesmo espaço, «que melhorou exponencialmente as condições de visitantes e de expositores». E o objetivo é trazer ainda mais gente, «sobretudo artesãos, e promover novos pontos de atração para o público, com músicos e grupos de referência, tornando o local mais atrativo e aprazível, sempre com a boa sardinha assada como ponto de referência».

Em jeito de conclusão, Isilda Gomes fez questão de dirigir «uma palavra de carinho para a fantástica equipa que, nos bastidores, não se poupou a esforços para levantar e manter o Festival da Sardinha nos mais altos padrões de qualidade, ao longo de cinco dias que, seguramente, marcaram de forma muito positiva o início de agosto na região algarvia».