Feira da Serra de São Brás com parapente, cerveja artesanal e equitação

  • Print Icon

O evento decorre de 25 a 28 de julho, mais amigo do ambiente. Em estreia absoluta, será lançada uma cerveja denominada São Brás de Alportel, produzida no concelho e um leite de alfarroba.

A 28ª edição da Feira da Serra está de volta. Durante quatro dias, os visitantes terão oportunidade de conhecer o melhor que existe na região ao nível do artesanato e da gastronomia, entre 150 expositores, oito restaurantes e 18 espaços temáticos.

A apresentação do certame decorreu no final da tarde de quarta-feira, 17 de julho, e contou com a presença de Vítor Guerreiro, presidente da Câmara Municipal de São Brás de Alportel e de João Fernandes, presidente da Região de Turismo do Algarve, na qual foram reveladas todas as novidades aos jornalistas.

Este ano é figo algarvio a inspirar o tema da Feira da Serra que será apadrinhada por Vítor Neto, presidente do NERA – Associação Empresarial da Região do Algarve.

«O figo é uma das maiores riquezas do Algarve», justificou o presidente da Câmara no uso da palavra.

Deste modo, o fruto terá um espaço próprio, denominado Sítio do Figo, onde serão feitas demonstrações gastronómicas e apresentados diversos produtos como cremes e sabões, entre outros.

A maior novidade talvez seja o «Fly Serra Slide». Este ano, no festival, será possível voar sobre o recinto, numa altura de 30 metros e numa distância de 250 metros, num simulador de voo de parapente.

Segundo Marlene Guerreiro, vice-presidente da Câmara Municipal de São Brás de Alportel e presidente da comissão organizadora da Feira, «num mês em que se comemoram os 50 anos do homem na Lua, nós também vamos estar mais perto do céu. Nunca fomos tão longe e tão alto. Esta é a grande atração e novidade do festival e é o cumprir de um sonho antigo».

A atividade ficará a cargo da Associação de Parapente do Algarve e terá um custo inferior a cinco euros, sendo que há preços especiais para grupos de quatro.

As crianças a partir dos 6 anos e até aos 12 podem usufruir da atração desde que acompanhadas por um adulto.

«Será um simulador de voo, com uma cadeira de parapente igual à que se usa para voar. Nunca foi feito nada do género em lado nenhum. É o juntar a natureza com a aventura», explicou Ricardo Silva, piloto de parapente e membro da direção da Associação de Parapente do Algarve.

Já para Vítor Guerreiro, «a essência da Feira é também a capacidade de voarmos mais longe e de mostrarmos capacidades que temos na nossa região em termos de desportos de natureza. O parapente é uma das modalidades que pode ser praticada no concelho e isto é uma forma de mostrarmos que o Algarve interior pode ser visto também do céu».

Vítor Guerreiro, presidente da Câmara Municipal de São Brás de Alportel.

Também a edição de 2019 da Feira da Serra está mais amiga do ambiente. Este ano, os visitantes já têm à disposição um copo reutilizável. Além disso, há a possibilidade de se adquirirem os bilhetes através da Internet.

Em relação às novas tecnologias o festival apresenta a mais recente novidade do município. «Comércio e Serviços» é a nova ferramenta digital para a divulgação gratuita de todas as empresas sediadas no concelho e será inaugurada durante o evento.

Para os mais novos há também uma atração nova.

Ao já conhecido Sítio dos Curiosos, dedicado às crianças, junta-se a possibilidade de realizarem o batismo de equitação.

A Feira da Serra terá de novo um Picadeiro, onde serão apresentados espetáculos equestres e onde as crianças poderão ter o seu primeiro contacto com um cavalo.

Nesse espaço será ainda dado a conhecer a princesa lusitana são-brasense, a Núbia, a primeira égua de Puro Sangue Lusitano, a nascer no concelho.

Os seniores também não ficaram esquecidos e na Praça do Município, além do espaço habitual de tranquilidade existirá ainda uma área de lazer dedicada.

A isto junta-se acesso total, em todo o evento, a pessoas com mobilidade reduzida, com vários pontos de apoio personalizado.

Por fim, em estreia absoluta, será lançada uma cerveja denominada São Brás de Alportel, produzida no concelho e um leite de alfarroba.

Aos jornalistas, o presidente da autarquia descreveu o festival: «não é um evento de música, de gastronomia ou de artesanato. É muito mais do que isso e queremos que as pessoas saiam da Feira da Serra felizes, com vontade de voltar e com o sentimento de que valeu a pena».

«Pretendemos mostrar o que de bom temos na região e provar que temos muito para oferecer. A economia local existe, tem capacidade para inovar e projetar o Algarve de forma positiva», concluiu Vítor Guerreiro.