Sciaena deixa obra de arte ecológica em Faro

  • Print Icon

No âmbito do evento Mar Motto, a ONG Portuguesa que luta pela conservação marinha e a autarquia de Faro, em conjunto com diversos artistas plásticos nacionais estão a realizar um conjunto de intervenções artísticas exteriores que visam chamar a atenção da comunidade para o tema da preservação dos Oceanos.

Tiago Hesp foi o primeiro artista plástico a jogar as mãos à obra e, por estes dias, foram muitos os que abrandaram as suas viaturas na Rua Pintor Carlos Porfírio, em Faro, para ver o mesmo a trabalhar na execução de um mural de 45 metros intitulado «A Pesca e o Peixe», que foi concluído na quarta-feira, dia 5 de junho, e que permanecerá como arte de rua na cidade.

Para além da execução deste mural, Tiago Hesp foi o formador do workshop organizado pela Sciaena e a Câmara Municipal de Faro, nos dias 4 e 5 de Junho, na Escola Secundária Tomás Cabreira, que teve como objetivo promover uma maior interação com a comunidade farense e que por esse mesmo objetivo colocou a trabalhar em conjunto, e em torno de um projeto artístico, alunos de Artes Visuais e alunos de uma turma PIEF[ desta escola secundária.

Durante estes dois dias, os alunos puderam aprender sobre problemáticas do mar como o lixo marinho e a pesca industrial e, ao mesmo tempo, debater sobre diferentes formas de pensar sobre arte e como esta é uma importante ferramenta de alerta e transformação social.

Os alunos tiveram também a oportunidade de falar sobre o trabalho de conceção e realização do mural realizado pelo artista Tiago Hesp, e posteriormente realizar um trabalho de desmontagem gráfica e conceptual do seu trabalho e adaptação e reconstrução dos seus vários elementos, recriando novas versões do mural do artista com recurso a diferentes materiais e de acordo com as suas visões e inspirações individuais.

Tiago Hesp, frisou como ponto chave que «numa sociedade que formata para um padrão e inibe o erro do indivíduo, o papel da arte é o da abertura à descoberta e aprendizagem sem que nada seja dado como inválido. Num espaço assim, é possível aprofundar o autoconhecimento, criar confiança, sem receio das diferenças entre os indivíduos que compõem uma comunidade».

Já Nicolas Blanc, membro da Sciaena, mencionou que «a organização procura ativamente criar estes momentos de sensibilização de uma forma pouco convencional, neste caso através de um workshop artístico que serviu para os alunos olharem para os oceanos com outros olhos. É também crucial a existência de artistas como o Tiago Hesp, que percebe a relevância das questões ambientais e tenta transmitir isso através de algumas das suas obras».

A Câmara Municipal de Faro ressalva que «é importante que este tipo de eventos e intervenções artísticas tenham, cada vez mais, uma ligação direta com as comunidades, de forma a que a mensagem artística chegue de forma mais clara às pessoas, mas também, aproximando os artistas das realidades locais».  

A exposição do evento Mar Motto estará patente até ao dia 6 de Julho na Antiga Fábrica da Cerveja, em Faro, com entrada gratuita. Na mesma podem ser vistas peças de 17 artistas portugueses que foram desafiados a deixar a criatividade fluir e criar obras que levem os portugueses a pensar sobre a importância da proteção do mar e suas espécies, sendo que um dos objetivos do evento é angariar fundos para as atividades de sensibilização sobre a temática da preservação dos Oceanos levadas a cabo pela Sciaena.