Polo Tecnológico do Algarve mais próximo de ser realidade

  • Print Icon

O périplo de Manuel Heitor, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, e da Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Maria do Céu Albuquerque, por Faro e Loulé, no sábado, dia 4 de maio, começou com a apresentação do futuro Polo Tecnológico do Algarve, projeto que estava na gaveta há mais de 15 anos.

Trata-se de um investimento global de 5,4 milhões de euros, com financiamento comunitário de 3,8 milhões de euros. Irá criar duas valências principais. A primeira será um Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia, focado na área da saúde e bem-estar, através da dinamização de um Centro de Simulação Clínica (CSC), com funções de ninho de empresas, no campus de Gambelas.

A segunda valência será a criação de um Parque de Ciência e Tecnologia, dedicado à área das Tecnologias de Informação, Comunicação e Eletrónica (TICE), que dinamizará o Algarve Tech Hub, no campus da Penha. O projeto surge em linha com a Estratégia de Desenvolvimento Regional do Algarve e com os objetivos propostos pelo Programa Operacional do Algarve.

O Centro de Simulação Clínica terá uma área de 865 metros quadrados. Já o Algarve Tech Hub contará com uma área de intervenção de 4495 metros quadrados (1809 para escritórios) e uma capacidade para acolher 300 a 350 engenheiros e programadores e 50 a 80 investigadores.

Segundo os indicadores da UAlg, no pós-projeto, é esperado que se instalem 21 empresas, inseridas em setores de alta e média-alta tecnologia e em serviços intensivos em conhecimento.