Ex-trabalhadores do grupo Alicoop fundam associação amanhã em Silves

  • Print Icon

Coletivo vai chamar-se «Alga» e tem por objetivo defender as vítimas daquilo que consideram «uma injustiça inqualificável».

A Comissão de ex-trabalhadores do grupo Alicoop liderada por Luís Alves, Luís Bandarra, Sérgio Catarino e Paulo Martins convocaram uma reunião para amanhã, quarta-feira, dia 5 de junho, às 20 horas, na sede do Grupo Desportivo e Cultural do Enxerim, em Silves.

Ao fim de mais de seis meses de crispação e incertezas quanto ao desfecho do chamado caso dos «lesados do GRUPO ALICOOP CONTRA O BPN/BIC», os ex-trabalhadores dizem continuar «a ser perseguidos pelo Banco BIC, tendo por base um suposto incumprimento num empréstimo realizado em 2008 para ajudar a empresa Alicoop, muitos deles encontram-se em dificuldades, alguns sem emprego e outros a viver da reforma, causando assim uma insegurança e incerteza nas suas vidas».

Em nota enviada ao «barlavento», a Comissão «promoveu várias diligências para procurar uma solução, através do diálogo expedito entre as partes, com o objetivo de repor a verdade, ou seja, desresponsabilizar os ex-trabalhadores de todas as responsabilidades passadas, presentes e futuras, conforme plano de insolvência aprovado e homologado em 21 de fevereiro de 2012».

No entanto, seis meses depois, os ex-funcionários encontram-se como à partida, «sem o reconhecimento da sua desoneração no empréstimo, preze embora, todas as entidades com que a comissão de trabalhadores tem vindo a falar, inclusive o governo, na audição que ocorreu na Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, onde foi unanimemente reconhecido pelos deputados presentes que se tratava de uma injustiça inqualificável e aprovado o apoio à comissão de trabalhadores na procura de soluções e iria promover audiências junto da Procuradoria-Geral da República e do Banco de Portugal».

Até presente data, contudo, «não registamos qualquer resultado prático das promessas efectuadas».

Assim, por forma a dar continuidade à luta e para que seja garantido cumprimento da decisão do Tribunal em desonerar os trabalhadores de qualquer dívida, a reunião de amanhã terá como objetivos traçar um ponto de situação da ação declarativa de simples apreciação e informar os interessados sobre os custos associados à mesma.

Será também colocado à discussão e votação, as propostas de advogados para representarem os ex-trabalhadores em tribunal e por fim, apresentação da associação «ALGA», e necessária votação e tomada de posse dos corpos sociais.

Serão também discutidas novas formas de luta e protesto.