COVID-19: AMAL assegura transporte rodoviário no Algarve

  • Print Icon

EVA Transportes e Frota Azul ponderam paragem total caso não existam compensações financeiras.

A AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve vai assegurar, enquanto Autoridade de Transportes, o cumprimento dos serviços mínimos de Transporte Público Rodoviário de passageiros, nas condições que se considerem necessárias face à necessidade de adequação da oferta à procura.

Face às dificuldades sentidas e à redução de receita nas suas operações, a EVA Transportes e a Frota Azul procederam ao regime de lay-off de 50 por cento dos seus funcionários desde o dia 1 de abril. Além disso, pese embora já tenham reduzido os quilómetros realizados diariamente, considerando que a receita atual não cobre as despesas associadas à realização dos serviços por si explorados, ponderam a paragem total das suas operações, caso não haja lugar a compensações financeiras.

Sendo o transporte de passageiros «um serviço público essencial», a AMAL, na última reunião de 3 de abril, «decidiu transferir a liquidez resultante da não utilização das verbas municipais afetas aos transportes escolares (atualmente suspensos) de cada município para a AMAL».

Esta é a forma «de financiar o pagamento das compensações necessárias e, assim, assegurar os serviços mínimos de transporte público rodoviário de passageiros, no volume e nas condições que se considerem necessários, adequando a oferta à procura».

A AMAL considera «fundamental a adoção de medidas urgentes e extraordinárias para minimizar o impacto negativo na atividade dos operadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros durante o estado de Emergência, mantendo-se os serviços mínimos de transporte que assegurem a mobilidade dos cidadãos».