Concelhia PSD quer evitar «Portimão esquecido» na atual legislatura

  • Print Icon

A Comissão Política do Partido Social Democrata (PSD) da concelhia de Portimão está a preparar com os militantes uma análise ao «estado do município» e vai convidar os deputados eleitos por aquela força ao debate local.

O objetivo será debater as propostas a levar para programa alternativo ao Orçamento Municipal de Portimão e Grandes Opções do Plano para 2020.

Para isso, o PSD Portimão irá reunir a Assembleia de Militantes este sábado, dia 2 de novembro, e contará com a primeira presença pública desta legislatura dos três deputados algarvios eleitos pelo PSD, Cristóvão Norte, Rui Cristina e Ofélia Ramos.

Numa sessão que será dividida em duas partes distintas, «a estrutura portimonense irá começar desde já a trabalhar em conjunto com os três deputados do PSD sobre matérias de importância local como a ligação marítima entre Portimão e o Funchal, o Porto de Cruzeiros, a diária preocupação com os serviços e especialidades no Hospital de Portimão ou a escassez de aposta na requalificação da ligação ferroviária a Barlavento».

Na segunda parte dos trabalhos, a Comissão Política Concelhia irá debater com os seus militantes portimonenses «o projeto de alternativa» que irá apresentar brevemente, aquando da discussão do Orçamento Municipal e das Grandes Opções do Plano para 2020.

«À imagem do ano transato, iremos voltar a apresentar as nossas propostas alternativas às do executivo socialista. Temos uma visão diferente para o concelho em várias áreas, como recentemente demonstrámos por propostas apresentadas sobre Habitação, Mobilidade ou na Economia do concelho e no Turismo, e vamos continuar a demonstrar aos portimonenses que sabemos ao que vamos», segundo refere o Presidente do PSD Portimão, Carlos Gouveia Martins.

Assim, o debate será feito a dois níveis, com os militantes para apresentar soluções a nível local, mas também com trabalho conjunto com os deputados algarvios na Assembleia da República «para Portimão não ficar esquecido na legislatura que agora se inicia».