Castro Marim quer o seu Sal e Flor de Sal à mesa dos restaurantes

  • Print Icon

Câmara Municipal está a impulsionar o projeto «Sal de Castro Marim à Mesa dos Restaurantes».

A autarquia lança o repto aos estabelecimentos de hotelaria e similares que visa promover o «ouro branco» do concelho como produto endógeno de qualidade.

Os estabelecimentos aderentes recebem saleiros e flor de sal de Castro Marim para disponibilizar aos seus clientes, substituindo os já existentes.

«São já dezenas os restaurantes que aderiram numa clara aceitação da iniciativa e do reconhecimento da qualidade do Sal e Flor de Sal de Castro Marim», explica o município.

A iniciativa pretende aproximar o consumidor «a este produto de excelência e valorização da matriz produtiva da região, incrementando os produtos locais na cadeia turística».

A produção de sal é uma atividade tradicional e um dos ex-libris de Castro Marim, dando origem a «produtos de excelência» recolhidos manualmente nas salinas de Castro Marim, em plena Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António.

Segundo a vice-presidente da autarquia, Filomena Sintra, «é um desígnio substituir o sal industrial à mesa pelo sal e flor de sal tradicional, porque este é naturalmente superior e rico em minerais como o magnésio, o cálcio e o potássio».

A número dois do executivo castromarinense revela ainda que «o Sal de Castro Marim está num processo de obtenção de Denominação de Origem Protegida (DOP)».