Até as estátuas contam histórias na nova Rota da Laranja de Silves

  • Print Icon

Aplicações digitais usam realidade aumentada e virtual para mostrar pontos de interesse da nova Rota da Laranja de Silves. Autarquia também disponibiliza um planeador de viagem para otimizar a experiência dos visitantes.

A autarquia de Silves apresentou hoje, sexta-feira, 7 de fevereiro um conjunto de ferramentas tecnológicas, duas aplicações para telemóveis (Rota da Laranja e Silves RA) e uma planeador de viagem.

As aplicações fazem uso da Realidade Aumentada (RA), um recurso que integra elementos ou informações virtuais com elementos do mundo real, que ganham vida através da câmera de um telemóvel ou tablet.

Por exemplo, no jardim do Largo da Igreja Matriz de São Marcos da Serra, o busto do benemérito António Bernardino Ramos, resgata a história, na primeira pessoa, do médico que curava os pobres sem nada pedir em troca.

«Quisemos que as personagens históricas pudessem dar um contributo» à valorização do território, das gentes e das tradições. Com este recurso «é possível contar histórias sobre a laranja, da serra até ao mar», disse Rosa Palma, durante a conferência de imprensa.

Rosa Palma, presidente da Câmara Municipal de Silves.

As aplicações foram desenvolvidas pela LarM, empresa especializada em «transformar o real em muito mais».

Ouvido pelo barlavento, o responsável da empresa João Monsanto revelou que há pelo menos, seis experiências para descobrir.

«Temos, por exemplo, os árabes fundadores da cidade, no Castelo de Silves. Em Tunes há uma experiência engraçadíssima de um chefe de estação junto a um comboio antigo que recebe as pessoas e conta-lhes a história de quando este apeadeiro era de facto importantíssimo, e temos o médico fantástico em São Marcos da Serra» cujo busto «ganha vida».

Há ainda um aspeto inovador. Em certos locais, o utilizador pode ter uma vista aérea de 360 graus, sobre o ponto em que está.

«Levantámos drones em alguns locais selecionados para que o visitante possa ter uma vista a 100 a 50 metros de altitude ao redor do sítio onde está, através do telemóvel. Vemos os pomares e toda a beleza do concelho a partir do céu».

João Monsanto já usou este tipo de tecnologia em vários municípios do país, como Viseu e Nazaré, «mas cada aplicação tem uma alma e um objetivo próprio. Esta procura criar ambientes e dar a conhecer uma oferta multivariada misturada com experiências reais».

«O que acho inacreditável e Silves é um grande exemplo, é como um país pequeno como o nosso e que achamos que só está focado em dois ou três pontos do território, consegue ter tanta qualidade, tanto património material e imaterial espalhado. Conhecia mal esta região, e foi fantástico», dise o responsável que promete «mais experiências» numa nova versão da aplicação.

João Monsanto da LarM – Publicidade, SA.

«Esta é uma tecnologia que é muito nova e há quem tenha resistência em usar porque ocupa espaço no telemóvel, mas depois de a usarem ficam absolutamente fãs. Isto está a acontecer não só em Portugal, mas no mundo todo. É uma quase onda transversal» de aceitação.

O desenvolvimento começou antes do final do verão passado.

«Estas aplicações são muito complicadas, desde a filmagem e produção de conteúdos» à programação, «mas o que interessa é o resultado».

Para já, os conteúdos estarão apenas disponíveis em português e inglês.

Além das aplicações, há ainda uma ferramenta para o planeamento da viagem (travel planner), que foi apresentada por Ana Parra, da VisualForma.

Permite personalizar, partilhar e guardar os itinerários e até tem um integração com a agenda de eventos do município, para melhor a visita ao concelho de Silves.