ARS esclarece situação no Centro de Saúde de Albufeira

  • Print Icon

Face à notícia divulgada esta quinta-feira, 28 de novembro, com o título «Funcionários em desespero financiam Centro de Saúde de Albufeira», designadamente, a USF Sol Nascente, a Administração Regional de Saúde do Algarve vem por este meio esclarecer o seguinte:

A ARS Algarve fez um investimento de cerca de 27 mil euros em obras de adaptação e beneficiação das instalações, equipando as salas com cadeiras, secretárias, outro mobiliário para o início de atividade, em dezembro de 2018, da USF Sol Nascente instalada no Centro de Saúde de Albufeira e cuja maioria da equipa de profissionais já se encontravam a trabalhar neste Centro de Saúde com os respetivos equipamentos e materiais essenciais para o normal desempenho da sua atividade diária.

No âmbito do levantamento de necessidades efetuado pelos profissionais desta unidade, à semelhança do que acontece com todas as outras unidades de saúde da região, têm sido desenvolvidos os respetivos procedimentos de aquisição do material solicitado.

A título de exemplo, no passado mês de fevereiro esta USF recebeu um Doppler Vascular, em abril um Sonotrax Ultrasonic Pocket Dopller, um Esfignómanometro aneroide, um Oximetro, uma Braçadeira pediátrica, e em setembro uma nova Marquesa multifuncional, entre outros materiais e equipamentos básicos para o normal funcionamento e desempenho da atividade da equipa de saúde desta USF.

De destacar ainda que foram adquiridos recentemente novos equipamentos de climatização, ares-condicionados para as diversas unidades de saúde da região, sendo a USF Sol Nascente uma das unidades nas quais se encontra neste momento a decorrer o processo de instalação destes novos equipamentos.

No que diz respeito «ao número de queixas», ao contrário do que é afirmado na notícia, entre 2017 e 2018, o número de reclamações que chegou aos cuidados de saúde primários e hospitalares do Serviço Nacional de Saúde do Algarve diminuiu cerca de 27 por cento, segundo dados oficiais dos serviços dos Gabinetes do Cidadão dos Agrupamento de Centros de Saúde e do Centro Hospitalar Universitário do Algarve.

Fonte: Relatório do Sistema de gestão de reclamações da Entidade Reguladora de Saúde 2018.

Nos cuidados de saúde primários, registou-se uma melhoria de cerca de 4 por cento (1243 reclamações em 2017 e 1194 em 2018), tendo-se destacado sobretudo o ACeS Barlavento.

Fonte: Relatório do Sistema de gestão de reclamações da Entidade Reguladora de Saúde 2017 (página 38).

De acordo com os dados oficiais que constam nos Relatórios do Sistema de gestão de reclamações da Entidade Reguladora de Saúde (ERS) verifica-se essa mesma tendência de diminuição de reclamações, nomeadamente, nas unidades de Portimão, Albufeira e Faro.