Ana Abrunhosa inaugurou troço da Avenida da Liberdade em São Brás

  • Print Icon

Ana Abrunhosa, ministra da Coesão Territorial, deslocou-se à vila algarvia para inaugurar a requalificação da zona sul de uma estrada com mais de um século de história, a Avenida da Liberdade, localizada no eixo principal do centro histórico de São Brás de Alportel.

«Esta Avenida foi um sonho idealizado no início do século XX. Agora, 100 anos depois do projeto inicial damos um passo significativo honrando o passado e abrindo caminho ao futuro. Hoje São Brás de Alportel escreve mais uma página importante da sua história». Foi com estas palavras que Vitor Guerreiro, presidente da Câmara Municipal de São Brás de Alportel, apresentou a nova Avenida à comunidade e à ministra Ana Abrunhosa, ao final da tarde de quinta-feira, dia 10 de setembro.

A requalificação do percurso, localizado no eixo central do Centro Histórico, teve como prioridades, ainda nas palavras do edil são-brasense, «a construção de acessibilidades para pessoas com mobilidade condicionada, com passeios amplos e piso plano; aumento de espaços verdes; aumento de segurança rodoviária; substituição de infraestruturas subterrâneas obsoletas e valorização tanto de recursos endógenos, como do património imaterial».

Isto porque, a projetista da obra, a arquiteta Amélia Santos, eternizou na calçada, através da passadeira com flores, o maior símbolo do património cultural do município, a Procissão de Aleluia. Além disso, a pedra usada na calçada e no mobiliário urbano, é uma forte homenagem «aos canteiros da terra que sempre trabalharam o calcário e a brecha», justificou Vitor Guerreiro.

O autarca quis deixar ainda uma mensagem particular aos munícipes: «gratidão, união e esperança. Vamos continuar a trabalhar para a vossa felicidade e para que todos possamos viver felizes nesta terra que amamos. Já à ministra da Coesão Territorial, Guerreiro assegurou que: «pode sempre contar com este concelho e com os são-brasenses para um contributo muito positivo na construção de um país melhor, mais justo e mais solidário. Desejo-lhe um excelente trabalho a bem de Portugal e dos portugueses».

Por outro lado, Ana Abrunhosa, no uso da palavra, começou por afirmar que a cerimónia, é um dos exemplos, «de coesão social que temos por todo o país. E coesão territorial é aquilo que estamos aqui a celebrar hoje. É celebrar os bons momentos, planear o futuro e conversar uns com os outros. É sobretudo aquilo que o governo deve fazer: vir, ver e ouvir. Ouvir a população e sobretudo aqueles que representam a voz e o sentir, os que são eleitos, os nossos autarcas. Isto é coesão territorial e é isto que esta ministra procura fazer. Por isso, venho hoje e virei sempre que o presidente da Câmara, o secretário de Estado e o presidente da Comissão da Coordenação de Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve considerarem pertinente».

Ana Abrunhosa, José Apolinário e Vítor Guerreiro.

Em relação à obra que inaugurou, a ministra disse que «significa espaços verdes, espaços públicos acolhedores para os cidadãos, mobilidade sustentável, serviços públicos eficazes e eficientes. Isto é o que temos em São Brás de Alportel, serviços públicos eficazes e eficientes, transportes adequados às realidades e necessidades locais, escolas modernas e empresas robustas capazes de darem trabalho qualificado e bem pago. Temos orgulho naquilo que somos. Não há progresso, nem desenvolvimento se não tivermos orgulho naquilo que temos e daquilo que somos. É isso que vemos em São Brás de Alportel e é isso que sentimos e vemos com esta obra».

Por fim, a governante agradeceu o convite. «Obrigada pela honra de estar aqui hoje. Espero poder regressar para conversar com as pessoas na rua e ouvi-las. O que o governo tem de fazer é estar na rua, trabalhar com os seus autarcas, conversar com os empresários e comerciantes e perceber os problemas que enfrentam porque só assim é possível desenhar medidas para os resolver». Ao presidente da Câmara, as palavras também foram claras: «conte com este governo e com esta ministra. Nós contamos consigo, com seus vereadores, com os seus presidentes e com toda a população».

Requalificação de espaços públicos continua

A renovação do primeiro troço da Avenida da Liberdade integrou o PARU – Plano de Ação e Regeneração Urbana do Centro Histórico de São Brás de Alportel, e contou com um investimento municipal de mais de 250 mil euros, tendo sinto financiado por fundos comunitários a 65 por cento.

Tratou-se da última etapa de um projeto iniciado com a requalificação do Largo de São Sebastião e Ruas adjacentes, concluído em 2017, e com a requalificação da Rua Gago Coutinho, concluída em 2018.

No entanto, os trabalhos não findaram ainda. Segundo revelou o presidente da Câmara Municipal de São Brás de Alportel, Vitor Guerreiro, aos jornalistas, a estratégia prossegue com a intervenção no troço central da mesma Avenida, de forma a unir o Centro Histórico à zona norte da vila.

«Já iniciámos a obra. É uma intervenção mais simples do que esta, mas que acima de tudo vem privilegiar as acessibilidades para mobilidade reduzida. Vamos retificar passeios, que estão deformados em muitas zonas e pavimentar a zona de circulação de viaturas», esclareceu o autarca.

Juntando todas as intervenções urbanísticas, tratou-se de investimento total de cerca de dois milhões de euros.

Ainda na opinião do mesmo, dotar a vila de circuitos e vias acessíveis é uma «aposta que temos vindo a desenvolver nos últimos anos e que queremos continuar. É importante para a qualidade de vida das pessoas, para o comércio, para o turismo, para o desenvolvimento económico e para a autoestima dos são-brasenses.».

O edil de São Brás revelou também que neste momento, encontra-se em fase de conclusão, o projeto para lançar o concurso da obra da Rotunda do Centenário da Avenida da Liberdade, em direção das Almargens e do Centro de Medicina Física de Reabilitação do Sul.

«Vai fazer uma ligação a todas as comunidades e vai dar todas as condições aos peões para circularem entre o Centro Histórico e o final desta vila», concluiu.

Uma Avenida repleta de história

A Avenida da Liberdade na vila de São Brás de Alportel tem um percurso que remonta ao ano de 1920, quando o então vereador João Viegas Louro apresenta o primeiro projeto de construção.

Só passados 10 anos, em 1930, é que o grupo de proprietários António de Sousa Dias Sobrinho, José Baptista Dias Gomes, Belchior Martins Galego, João Pires Neves e António Galego, ofereceram os terrenos de forma a abrir-se a Avenida.

Em 1939 foi oficialmente aprovado o nome, Avenida Dr. Oliveira Salazar, sendo que no ano seguinte foi aprovada a sua construção.

Já a 28 de junho de 1974, por deliberação camarária e após proposta de um grupo de democratas são-brasenses, a via passa a designar-se Avenida da Liberdade, em homenagem à Revolução dos Cravos.

Marlene Guerreiro, Vítor Guerreiro e Ana Abrunhosa.

Na inauguração da requalificação do troço a sul da Avenida, Vitor Guerreiro, presidente da Câmara Municipal de São Brás de Alportel, afirmou que «este é o legado dos nossos antepassados que preservamos e a quem prestamos homenagem com a requalificação desta, artéria principal da nossa vila, que faz parte do passado das nossas gentes e que fará parte do futuro que hoje estamos a construir».