Algarve reforça Cuidados Continuados Integrados na Saúde Mental

  • Print Icon

Ação vai criar 60 vagas de apoio na área da Saúde Mental na região algarvia.

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve e o Centro Distrital de Faro do Instituto da Segurança Social celebraram ontem, quinta-feira, dia 25 de junho, contratos-programa no âmbito dos Cuidados Continuados Integrados de Saúde Mental com três instituições particulares de solidariedade social da região: a Associação Cultural e de Apoio Social de Olhão (ACASO), a Associação de Saúde Mental do Algarve (ASMAL) e a Casa do Povo de São Bartolomeu de Messines, o que vai permitir criar 60 vagas de apoio na área da Saúde Mental na região.

A cerimónia da assinatura contou com a presença do presidente do Conselho Diretivo da ARS Algarve, Paulo Morgado, da diretora do Centro Distrital de Faro do Instituto de Segurança Social, Margarida Flores, e dos representantes de cada uma das entidades gestoras associadas.

No âmbito do contrato-programa celebrado, a ACASO vai contar com uma unidade sócio ocupacional para adultos em Olhão, com 20 lugares e uma equipa de Apoio Domiciliário. Já a ASMAL vai disponibilizar uma unidade sócio ocupacional de infância e adolescência situada em Loulé, também com 20 lugares, destinada a acompanhar jovens dos 13 aos 17 anos.

Por fim, a Casa do Povo de São Bartolomeu de Messines contará com uma unidade sócio ocupacional para adultos, com 20 lugares e uma equipa de Apoio Domiciliário para adultos, em São Bartolomeu de Messines.  

Com esta nova valência, a Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) do Algarve passa a dar resposta às novas necessidades que foram sendo identificadas na população e vai permitir melhorar a qualidade de vida destes cidadãos, mediante um acompanhamento personalizado e adequado à problemática da Saúde Mental.

A RNCCI, criada em 2006, resulta de uma parceria entre o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e o Ministério da Saúde, e é constituída por um conjunto de unidades e equipas que prestam cuidados continuados de saúde e de apoio social a pessoas em situação de dependência e com falta ou perda de autonomia.

Atualmente, o Algarve dispõe de 19 Unidades de Internamento da Rede de Cuidados Continuados Integrados do Algarve, com um total de 527 camas de internamento destinadas a cuidados continuados a pessoas dependentes, sendo 74 camas de convalescença, 142 camas para internamentos de média duração e reabilitação e 311 camas para internamentos de longa duração e manutenção.

No âmbito do apoio domiciliário, existem 26 Equipas de Cuidados Continuados Integrados que abrangem todos os concelhos de região.