Albufeira entregou mais desfibrilhadores a várias entidades do concelho

  • Print Icon

Está prevista, para breve, a instalação de mais equipamentos fixos.

A Câmara Municipal de Albufeira deu início à segunda fase do Programa de Desfibrilhação Automática Externa (PDAE), com a entrega de desfibrilhadores automáticos externos (DAE) à Guarda Nacional Republicana (GNR), Polícia Municipal e Serviço Municipal de Proteção Civil.

O programa, que iniciou em 2017, conta agora com um total de 10 equipamentos DAE móveis, prevendo-se para breve a instalação de mais 12 equipamentos fixos na via pública e o alargamento da formação a mais 500 operacionais.

Entre os móveis, nove estão instalados em viaturas de diversas entidades com responsabilidade em matéria de proteção e segurança, nomeadamente a GNR (quatro), Bombeiros Voluntários de Albufeira (um), Polícia Municipal (dois) e Serviço Municipal de Proteção Civil (dois), sendo que um destes equipamentos encontra-se localizado no Gabinete Médico/Gabinete de Enfermagem que existe no serviço de saúde ocupacional do município, de acordo com as recomendações da Direção-Geral de Saúde.

O presidente da Câmara Municipal de Albufeira, José Carlos Rolo, destaca «a parceria existente com a GNR – Destacamento Territorial de Albufeira, desde o primeiro momento do programa, nomeadamente através da disponibilização de vários militares para fazerem a formação necessária, os quais estão agora devidamente habilitados à realização de manobras de suporte básico de vida e desfibrilhação automática externa (SBV-DAE)».

O edil referiu-se a esta parceria como «uma mais-valia, uma vez que devido à proximidade da vítima – a GNR está no terreno 24h/24h, 365 dias por ano – aumentamos a possibilidade de atuação precoce em situação de paragem cardiorrespiratória até à chegada do socorro diferenciado».

José Carlos Rolo refere ainda que, atualmente, «o universo de operacionais de DAE é constituído por cerca de 170 pessoas, entre militares da GNR, Bombeiros e sociedade civil», sublinhando «a importância do envolvimento da comunidade no projeto».

O PDAE de Albufeira é licenciado pelo INEM e suportado por equipas locais de socorristas, devidamente formados e capacitados para intervir em situações de doença súbita de natureza cardiorrespiratória, intitulando-se «Albufeira + Segura», assentando na instalação de equipamentos DAE fixos em locais estratégicos da via pública (em cabines apropriadas), contemplando, também, a disponibilização de equipamentos DAE móveis nas viaturas das forças de segurança.

Devido «ao caráter inovador do programa», em 2018, o município recebeu o galardão de «Melhor Município para Viver», na categoria Social, uma iniciativa do Instituto de Tecnologia Comportamental (INTEC) em parceria com o semanário Sol, que há mais de uma década distingue os melhores projetos municipais no âmbito do Ambiente, Economia e área Social.

Durante a entrega dos equipamentos, que decorreu na passada quinta-feira, 18 de junho, em frente ao edifício dos Paços do Concelho, José Carlos Rolo fez ainda questão de realçar «a atenção e o empenhamento que o município coloca desde sempre nas questões da saúde, segurança e socorro, considerando que para além dos residentes temos que contar com os milhares de visitantes que todos os anos escolhem Albufeira como destino turístico de eleição».

O líder do executivo albufeirense deixou ainda a promessa de que «em breve seriam instalados mais 12 equipamentos fixos na via pública, prevendo-se, também, a possibilidade de alargar o programa de formação a mais 500 operacionais, que irão reforçar a equipa de duas dezenas de pessoas já formadas afetas ao programa, situação que já estaria em curso se não fosse a atual crise sanitária».

Albufeira entregou desfibrilhadores automáticos externos

O tenente-coronel Marco Henriques, na qualidade de representante do comandante do Comando Territorial de Faro da GNR, agradeceu «a confiança depositada» pelo município de Albufeira «na capacidade de atuação dos seus militares», referindo ser «uma honra poder participar num projeto tão relevante e que valoriza o trabalho desenvolvido numa situação de socorro».

«Todos sabemos que as forças da autoridade são aquelas que em primeiro lugar chegam às ocorrências, além das forças de socorro e emergência médica, pelo que a existência de um DAE móvel nas nossas viaturas permite fazer a diferença entre a vida e a morte», concluiu.

Paulo Freitas, presidente da Assembleia Municipal de Albufeira, por sua vez, sublinhou «o trabalho desenvolvido pela Câmara Municipal de Albufeira com vista a tornar este destino e esta cidade mais segura e resiliente», destacando a importância dos parceiros, a quem a autarquia confia estes equipamentos «essenciais ao salvamento de vidas».

O líder da Assembleia referiu-se a todos os operacionais civis, mas também a «estes profissionais diferenciados, que integram o PDAE, e que agora dispõem de equipamentos que os acompanham nas suas ações de patrulha, como sendo pessoas com um enorme sentido de responsabilidade, que pode salvar vidas».

Aproveitou ainda para reforçar a ideia de que «a entrega destes equipamentos para uso nas viaturas das forças de segurança garante uma maior cobertura do concelho e o aumento da probabilidade de atuação com sucesso, em complementaridade às forças de socorro».