Albufeira distribui 318 mil euros pelas suas associações culturais e sociais

  • Print Icon

Cerimónia contou com a presença de José Carlos Rolo e Ana Pífaro.

O Salão Nobre dos Paços do Concelho de Albufeira recebeu na sexta-feira, 19 de junho, a assinatura de 11 contratos com instituições e associações culturais e sociais do concelho, no valor total de 318152 euros, com o objetivo de garantir, no caso de uns, apoio a indivíduos e famílias carenciadas e, no caso de outros, a continuidade das suas atividades culturais.

O momento contou com a presença do presidente da Câmara Municipal, José Carlos Rolo, e da vice-presidente, Ana Pífaro. O edil albufeirense, de resto, não tem dúvidas de que «sem as instituições de caráter solidário, seria muito difícil ao município dar uma resposta cabal a todo o acréscimo de necessidades que a atual pandemia gerou em Albufeira».

José Carlos Rolo salientou que «estes protocolos são realizados com um grande agradecimento por tudo quanto têm feito por quem mais necessita. Em concreto, estes protocolos visam cerca de 420 famílias».

As instituições de objeto social que se encontram, nesta fase de pandemia, a entregar cabazes mensais a indivíduos e famílias carenciadas e que, por isso, foram alvo deste protocolo de apoio, são: Fundação António Silva Leal (21000 euros), Cruz Vermelha Portuguesa – Centro Humanitário Silves – Albufeira (21000 euros), Santa Casa da Misericórdia (31500 euros), Centro Paroquial de Paderne (4200 euros) e AHSA – Associação Humanitária de Solidariedade de Albufeira (8400 euros).

No total, este apoio ascende a 86100 euros, que foram cedidos de acordo com o número de pessoas que recebem assistência alimentar e de cuidados de saúde.

Quanto às associações culturais, são para o autarca «fundamentais nesta altura, em que a desolação é muita, não só por parte dos artistas, como também daqueles a quem as atividades culturais fazem falta, pois é também um alimento e confere alento, o mesmo podendo dizer-se das associações que lidam com os mais novos e os ensinam, seja com matérias práticas, seja a música, porque temos que manter a esperança e continuar a pensar no futuro».

No sentido de prosseguirem as suas atividades de índole cultural, também seis associações assinaram protocolos com a Autarquia, cujo montante ascendeu a 232052 euros.

Tratou-se da Associação da Biblioteca – Museu do Jornal Avezinha, para manutenção do seu espólio museológico e continuação da abertura ao público da Biblioteca e Museu (9600 euros), da Sociedade Musical e Recreio Popular de Paderne, que contando com 160 anos de existência tem uma escola de música com professores contratados (40000 euros), a Fábrica da Igreja Paroquial de Albufeira, para manutenção do seu património religioso, alvo de grande interesse turístico e cultural, nomeadamente a Igreja Matriz, o Museu de Arte Sacra e a Igreja de Sant’Ana (162975 euros), a Associação da Orquestra de Jazz do Algarve, para a realização de três espetáculos ou workshops em Albufeira (10000 euros), a AANGA – Associação de Angolanos e Amigos de Angola, para a continuidade das suas atividades (7000 euros) e a PrimeSkills, que dá formação a cerca de mil jovens de Albufeira por ano, nas áreas de «Falar em público», «Currículo e Entrevista», «Comunicação não verbal e assertividade», entre outros (12477 euros).

José Carlos Rolo mostrou-se satisfeito com a assinatura destes protocolos, «pois são sempre sinais de vida, de movimento e destaque. Albufeira pode honrar-se do associativismo que possui».