Adjudicada construção da Rede de Rega da Várzea de Odeleite

  • Print Icon

Adjudicação deu-se na reunião de câmara de dia 31 de julho, num investimento total de 1717170,20 euros, enquadrado na operação 3.4.1 «Desenvolvimento do regadio eficiente», do programa PDR2020, e financiado a 100 por cento (cofinanciado pelo FEADER, no âmbito do Portugal 2020).

A iniciativa nasceu depois de um contrato-programa estabelecido entre o município de Castro Marim e a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DrapAlgarve), homologado pelo ministro de Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos.

O sistema da rede de rega da Várzea de Odeleite era uma obra ambicionada há mais de 20 anos, desde a inauguração da Barragem de Odeleite, em 1997, que estava destinada ao abastecimento de água para consumo humano, função que tem assumido nestas décadas, e para sistemas de rega.

Da Barragem depende o Aproveitamento Hidroagrícola do Sotavento Algarvio, que beneficia uma área de cerca de 8600 hectares de terrenos agrícolas dos concelhos de Castro Marim, Tavira, Vila Real de Santo António e Olhão, mas paradoxalmente não integra os terrenos a jusante da ribeira.

Desde então que Odeleite idealiza um sistema de rega para os terrenos na margem da ribeira a jusante.

A área total a beneficiar pelo sistema será de aproximadamente 132 hectares, de acordo com o delimitado pelas entidades competentes, situando-se a jusante da Barragem e desenvolvendo-se ao longo da Ribeira de Odeleite.

A construção da rede de rega permitirá melhorar as condições de produção dos agricultores daquela área, permitindo inclusivamente a diversificação de culturas.

O executivo da Câmara Municipal de Castro Marim acredita que esta obra, paralelamente à construção da Praia Fluvial na barragem de Odeleite, «trará uma nova dinâmica económica, social e até empresarial à freguesia de Odeleite, mas acima de tudo ao Baixo Guadiana. Este investimento beneficia os terrenos com melhor aptidão agrícola do concelho de Castro Marim».