50 anos dos «Anais de Faro» com homenagem a Joaquim Romero Magalhães

  • Print Icon

A sessão de apresentação do XLI Volume dos Anais do Município de Faro – 2019, irá ter lugar no sábado, dia 26 de outubro, às 15h30, na Biblioteca Municipal António Ramos Rosa e será presidida pelo presidente da Câmara Municipal de Faro, Rogério Bacalhau Coelho.

Trata-se da edição comemorativa dos 50 anos da publicação, que será também de homenagem a Joaquim Romero Magalhães e que conta com um leque de artigos de grande qualidade de autores consagrados, de entre os quais um da autoria do próprio.

A apresentação desta nova edição dos Anais estará a cargo do Historiador Álvaro Garrido, Professor Associado com Agregação da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e Investigador do CEIS20 (Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX).

A sessão contemplará ainda um momento musical pelo Coral Ossónoba e um Porto de Honra para comemorar o cinquentenário da publicação.

Sob a direção de Joaquim Romero Magalhães de 2009 a 2018, os Anais do Município de Faro passaram a ocupar um lugar de destaque no panorama nacional, constituindo um repositório das mais recentes investigações sobre a história do concelho e da região e um veículo privilegiado na divulgação dos trabalhos de investigadores especialistas nas suas diversas áreas, dos quais se destacam o próprio Joaquim Romero Magalhães, António Rosa Mendes, António Pires Ventura, José D’Encarnação, José Horta Correia, João Pedro Bernardes, António Paulo Oliveira.

José Matos Guita, Edite Esteves, João Leal, Alexandra Gonçalves, Marília Castro, Lina Vedes, são apenas alguns dos que já inscreveram os seus nomes numa secção dos Anais de Faro que o seu diretor denominou de Vistos e Vistas, uma vertente memorialista de tempos vividos e reconstituídos que é já parte integrante da revista.

«Estamos convictos que a diversidade de autores e a variedade de temáticas apresentadas nesta nova edição, contribuirão uma vez mais para a afirmação dos Anais como uma publicação de referência na preservação e na divulgação da História e do Património material e imaterial de Faro», refere a autarquia farense.